Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

Lavei a alma em uma cachoeira

Mergulhei em uma cachoeira, até o fundo e deixei-me emergir naturalmente. Na água ficaram todos os meus fluidos pesados. A correnteza era forte, havia muita água. Fiquei "zerada". Senti-me leve. Pena que já discuti com Marido no caminho de volta, o que tornou a minha limpeza de alma inútil. Penso que às vezes e melhor ter a alma cheia de preocupações do que esvaziar numa cachoeira e encher com mais m.... ainda. Agora descobri uma nova de Marido, quando as irmãs dele estão no Brasil ele fica bonzinho... Isso é a convivência de casal, nunca se deixa de ser surpreendido! A pessoa Marido ficou duas semanas sem falar comigo e de repente trouxe um CD do Victor e Leo com a nossa música "Borboletas", ficando amoroso e atencioso a semana toda, descobri que ele só queria brincar... Voltou ao normal (mau-humor calado e grosso) após não conseguir o que queria... Estou bem, o que que eu vou fazer afinal? Algumas coisas são vicerais, a dor e o prazer não são pra fingir, aliás …

Esta criança é o amor da minha vida

Eu amo muito essa criança que vocês estão vendo neste vídeo

Os valores das Nova Geração

Ontem eu lanchei com os estagiários de 19 a 21 anos e fiquei encantada com seus novos valores. Comecei provocando ao dizer que eu tinha tomado ecstasy numa balada (talvez eu tenha mesmo). Responderam que não se drogavam, nem iam a baladas e sequer colocaram uma gota de álcool na boca. Interessei-me e comecei a perguntar outras coisas, mas nenhum deles curte sexo, drogas e rock'n roll ou sua versão repaginada beijo na boca, ecstasy e balada. Será que finalmente estamos assistindo ao surgir de uma nova geração, agora mais ajuizada? Ao irmos para o assunto do cigarro, a reação foi igualmente a de repugno. Eles não fumam e não pretendem fumar. Sei que é cedo para definir uma geração inteira por causa de três estagiários, mas andei lendo alguns livros sobre as crianças índigo que começariam a nascer a partir de 1990 e consegui fazer uma relação mental. Alguns psicólogos estranharam o comportamento inatamente honesto dessas crianças índigo, são chamadas índigo, mas a comunidade científi…

Bichomania versus Petzoo

Estive com meu filho naqueles dois lugares e no último eu não me diverti. O último é muito mais caro e não aceita cartão de crédito, Marido teve que dirigir muito tempo até a "civilização" para encontrar um caixa eletrônico e retirar dinheiro para o pagamento, enquanto o gerente e a caixa olhavam para mim com uma cara de bem-feito-quem-mandou-não-ler-o-aviso-na-porta? Mas o interessante é que quando cheguei ao Petzoo, ela perquntou: "Já veio antes? Sabe como funciona?" Eu respondi que não e ela explicou que são R$23,00 por pessoa e o almoço não está incluso, me enfiou uma ração na mão e chamou a monitora. A ração, a propósito custou cinco reais e ela "esqueceu" de mencionar talvez porque já deveria ter aviso na porta também. Vai ver não acham relevante dizer que não aceitam cartões. Não gostei de jeito nenhum. O Bichomania foi diferente, eu levei uma folha de cheque, pensando que não aceitariam cartão, mas aceitaram! Fiquei encantada! Eu sei que os lojist…

Alienação do computador

Quando eu estou muito mal, eu uso o computador como uma fuga, eu fico jogando o "bubble shooter" e o dia inteiro passa, eu não preciso nem pensar e nem falar com ninguém. Interessante o fato de muitas pessoas fazerem isso de fugir de seus assuntos cruciais através de alienações, uns alienam-se no trabalho, outros na televisão, baladas, drogas e várias espécies de "distrações". Jogar um pouquinho é gostoso, porém mergulhar o dia inteiro no computador é um sintoma de que está doendo, descobri uma boa palavra, anestésico. Estou anestesiando minhas idéias excruciantes com este joguinho que pouco exige de meus neurônios, ESSA é a idéia. Foi nesse ponto que eu acordei. Meu filho viu o joguinho e pediu para soprar bolhinhas de sabão. Entendeu o signo? "Bubble shooter" / bolinhas de sabão, dã, realidade, vamos então meu filho, soprar bolhinhas de sabão reais... Levantei daqui desse computador ainda sem entender essa linda metáfora, Marido me deu o brinquedo e se…

Movimento sutil...

Consegui falar que eu quero mudar de horário e de setor. Depois que o taro alertou do risco de se acomodar eu decidi fazer um movimento muito sutil, eu disse algo assim: "Chefe, creio que meu tempo aqui se esgotou..." Foram palavras quase sussurradas e num ritmo muito gentil, quase uma música. Ela gostou e apoiou - já disse aqui no blog as vantagens de não ser aquele funcionário insubstituível, aquele que faz tudo e rápido? - vou ser liberada para outro setor em 20 dias. Se fosse a V., não conseguiria, estamos pedindo a ela para pelo amor de Deus não aposentar! Posso estar totalmente errada, sabem, a visão particular de uma pessoa pode ser totalmente diferente da realidade, principalmente ela tendo bipolar, kkkk. Eu disse para a minha chefe que ela estava doida para se livrar de mim, mas ela respondeu: "Imagine, não é isso, é que a gente não pode ter apego, o Universo está em movimento e talz..." Minha chefe, dei um abraço nela, eu sou uma piegas...

Taro diferente hoje!

Hoje, quando fui olhar o taro, já esperava ver a mesma carta do enforcado (sacrifício financeiro em função de outrem, dificuldades, sofrimento e tal) quando para minha surpresa eu olho a carta do Sol (sucesso, ascensão profissional, projetos que vão dar certo). Eu já estava para postar sobre o taro quando havia saído a carta do Mundo, que significa final de ciclo, realização de uma etapa que traz um lado negativo que é o do comodismo. Vou me mexer, é claro, mas estou com muito, muito medo mesmo. Temo ter crises em um novo setor que não vai entender muito bem uma TPM, um suicídio, como os meus atuais chefes entendem. Minha chefe é praticamente uma psicóloga, e o chefe dela parece que até tem o mesmo transtorno que eu, de tão compreensivo que ele é. E se eu for para um lugar que as pessoas vão chamar minha doença de frescura? Tá, eu não falo pra ninguém, mas e os roxos que ficam nos braços quando eu tento pular do quinto andar? Como eu vou simplesmente não falar? Ai que medo, que medo …

Sincronicidade e sonhos

Sonhar, sonhar, viver. Morar num barco ou num trailler, voar num parapente e ser astronauta. Quinta-feira eu vi um barco no acostamento. Alguém realizou um sonho de criança que também foi meu. Minha tia E. sonhava em voar, sonhava não, ela tentava diariamente e inclusive chegou a voar sobre um rapaz que andava de bicicleta, depois te conto. O que será que eu tenho direito nessa vida, medíocre. Trabalho, família, amigos, os dois primeiros muito mais. Mas o lazer fica apertado no orçamento, porque um paraglider custa mais de cinco mil reais no Brasil. Andar de motocross, surfar, mergulhar. Cavalgar, nadar, tudo isso custa caro. Sobrou andar no parque, correr na pista do condomínio. Espremendo o orçamento posso comprar um par de patins. Como disse minha amiga Yumi, num comentário desse blog: blá-blá-blá. Não há sentido mesmo para uma vida que é encaixotada dentro de um pequeno orçamento, acreditem: falo com conhecimento de causa. Resta uma dúvida: se eu tivesse condições financeiras de f…

Vegetando...

Trabalhando, não fazendo nada na minha vida pessoal e tomando um monte de medicamentos (quando me dão).