Postagens

Mostrando postagens com o rótulo casamento

A polícia veio aqui hoje...

Chamei a polícia pra Ex-Marido, ele veio aqui pedir pra voltar e quis subir no apartamento sem minha autorização.
Estou uma pilha de nervos e de vergonha.

Marido deixou a casa, finalmente...

Pena que rolou soco, pontapé e até tentativa de esganamento. Uma mulher enfurecida com transtorno bipolar não é lá uma cena muito linda, mas o fato de ex-Marido acusar-me de ter simulado suicídio foi a gota d'água numa situação que estava tensa demais. Eu pude ver a amante dele sussurando no ouvido dele que havia sido mentira minha o fato de eu ter escalado o prédio pela sacada. Realmente é surreal, principalmente para pessoas que não conhecem o transtorno. Meu pai e tio o tiraram daqui de dentro de casa antes que uma tragédia ocorresse.

Assédio

Marido quer me convencer a ficar com ele de todo jeito. Agora ele trouxe os extratos bancários, para provar que não gastoucom as amantes, só que a análise dos mesmos não demonstra nada, como é que eu vou saber para onde foram os saques?

Crônicas da mulher traída 5

Ele pede perdão, após ser intimado a deixar a casa. Ela pensa: "Amor não é." Ou ele não tem pra onde ir ou pretende continuar no comodismo de ficar com ela e as outras, só que desta vez quer ser mais discreto. Ele jura que a ama, que vai pra terapia, mas o que ela observa é uma extrema falta de respeito. Ele vigia seus passos na Internet, sabe que ela agora está disponível.
Traz flores e um cartão: "Eu seguei-me (sic) por um instante, mas eu te adoro e te amo." Ass. Marido;

Crônicas da mulher traída 3

Então ela chega em casa e vai entrar no Facebook e ao errar a primeira letra no login eis que aparece o e-mail de uma mulher que havia deixado um comentário mal educado no seu blog: vervie20@yahoo.com.br.
Este e-mail é de marido, ele se fazia de Verônica Bastos para convencer as mulheres de que tinha um primo (o cujo era Marido mesmo).
Ela vai investigar os e-mails dele e pega várias conversas eróticas e numa delas a marcação do encontro, comprovando que os limites do sexo virtual haviam sido vencidos, mas com o desenrolar das discussões ele confessa que cometeu o pecado do adultério, não com a vizinha do sexto andar, mas com uma mulher bem mais velha de Sorocaba.

Jogos do Baixo Astral

Ontem peguei marido aceitando uma amizade de uma mulher no site da Sonico. Isto está ficando tão banal... Ele disse que fez de propósito para eu ver porque estava com raiva e queria me provocar, até pediu desculpas, mas eu estou tão cansada de tudo. O que faz um ser humano fingir para magoar o outro? Pior, fingir que está fingindo. Genial! Só que eu não nasci ontem. Não estou dizendo fingir que não me trai com outra, mas fingir que trai. Pega o telefone finge que está falando com a irmã, sobre não aguentar mais taaaanto sofrimento.... Eu me pergunto, meu amigo, que tanto sofrimento é esse? A pessoa (no caso eu) levanta cedo vai pro trabalho, na volta para casa, fala manso, suave, quase uma carícia para os ouvidos... Aguenta suas respostas lacônicas, ríspidas e reticentes, suas performances. Dorme tonta do efeito dos antidepressivos e no dia seguinte tudo igual. Que tanto sofrimento é esse que você fala tanto, hein Marido? Não tinha ninguém do outro lado da linha... Será que aquela out…

Dois numa panela de pressão

Um apartamento. Um filho. Dois salários. Problemas comezinhos. Básico? Não!!! Dentro de cada um há sonhos descasados. Descasados entendeu? Casados com sonhos descasados, rimou! Adorei. Casados com sonhos descasados, vestidos com personalidades desnudas, falando com intenções mudas, agindo com atitudes paralisadas, olhando com pontos de vista cegos. Contradições. Se eu fosse Marx diria que isto faz crescer. Não me sinto grande, me sinto miserável. Minhas chances continuam grandes, mas eu estou aqui. Atitudes passivas são não atitudes? Não agir também é uma escolha, o Universo não pára, se eu não fizer nada, algo também acontece porque a vida não para, a diferença é que eu fico mais traumatizada se não controlar o que acontece, mas não tenho mais coragem para nada, me sinto como se soubesse que caí numa areia movediça em que quanto mais a gente se debate mais rápido a gente se afoga...

Exaustos...

Marido e eu nos olhamos e sorrimos, pois cada um estava mais exausto que o outro. Não trocamos palavra. Sentamos em frente ao aparelho de televisão, que por acaso estava ligado, e nos deixamos ficar. Tentei dizer algo mas ele grunhiu, como resposta. Uma nuvem negra inundou a minha aura quando comecei a pensar que a vida toda será assim, afinal, não vejo perspectiva de mudança. Trabalhamos o dia todo e à noite, exaustos, não conseguimos produzir uma vida familiar digna de seres humanos. Se eu tenho idéias? É claro! Um jantar dançante, à luz de velas, sair para tomar um caldinho, ir ao cinema, sorvete. Mas como vingar essas idéias se os dois estão mortificados dos abusos no trabalho? Amigos, não gastem toda a vossa energia no trabalho, economizem um pouquinho para curtir a família, entendido?

Enésima consulta à psiquiatra

Na minha 66ª (mais ou menos) consulta à psiquiatra revelei minha dor em tomar remédios três vezes por dia e consegui reduzir a frequência para duas vezes, entenda, a mesma dosagem só que em duas administrações. Fiquei mais aliviada em saber que não vou mais ter que me preocupar com essa dose nomeio do dia, então fica mais simples, ao acordar e ao dormir. Vou contar que estou de amigo novo e isto me deixa feliz porque fazem muitos anos que não faço novas amizades que não sejam virtuais. Estou empolgada com o fato de poder conversar, desabafar, dividir meus medos e ansiedades com alguém que não me cobre por isso ou não seja minha família, com amigos, eu não sou de ter amigos, minha bipolaridade f... com tudo, porque esqueço os aniversários, percos os encontros, dou furos daqueles tipo, uma vez faltei ao meu próprio aniversário, marcamos para bebemorar e eu não fui. Pitoresco, a pessoa marca um evento em torno dela e não vai ao próprio. Meus amigos disseram que o MEU aniversário foi muit…

Um banho inusitado

Imagem
Antes do ehr ... incidente eu ainda continuava na minha desesperada luta por dar um "up" na minha vida de lazer/relacionamentos/família. Arrastei Marido para um giro. Discutimos no caminho, É CLARO, ele me xingou de mal-educada e eu disse que era a mãe dele. Mudei de planos e entrei em uma outra cidadezinha. Deixei os dois (Marido e Filho) no carro e perguntei a um senhor na barraquinha de cachorro quente se tinha alguma cachoeira, onde eu pudesse ter um banho de "descarrego" (se é que vocês me entendem). O tiozinho ficou apaixonado!! "Vamos agora mesmo, estou de moto, você me segue com seu carro!" Foi muito bom! Eu me senti tão valorizada, eu nunca trairia Marido, mas eu gosto de saber que existem outras opções!! Eu respondi que não ia rolar, mas que ele me ensinasse o caminho. "Olha, cachoeira não, mas serve um laguinho?" O resumo da estória é que eu e meu filho tomamos um banho refrescante nesse laguinho aí da foto e Marido ficou só observand…

Tolerância Zero

Com a conjuntivite ardendo, Marido entra numa farmácia. Receita na mão se dirije ao balcão, com aquele péssimo humor que lhe é peculiar. Ele nem abre a boca, entrega a receita à moça, que lhe "pergunta", atenciosamente: "Isso é colírio?". O tempo fechou na hora. "Tu que trabalhas aqui nesta farmácia não sabe, e eu é que tenho que te dizer!? Eu não vou te dizer, vai perguntar à tua supervisora e cuidado para não me entregar o remédio errado, ouviste?" Quando eu digo que Marido é grosso todo mundo fica com dozinho dele, eu com aquela cara de a-malvada-maltradora-de-homens-mal-agradecida. Para exemplificar o baixo nível de tolerância de Marido conto uma outra anedota: Liga a moça da Magazine para cobrar um tal de G... que não mora aqui. A moça estava ligando pela quinta vez, acho que o cadastro deles está com o telefone daqui. Ouço a seguinte resposta: "Eu já falei que não mora nenhum G... aqui! Oiça bem o que eu vou lhes dizer, a próxima vez que ligarem…

Casais Burros Empobrecem Juntos - Capítulo 2 - O controle do portão

O controle do portão sumiu na praia. Marido aparentemente tem depressão e distraído esqueceu que deixou o controle no lugar mais óbvio do mundo, contra-sol. Aquele negocinho emborrachado que fica acima do vidro no carro, que a gente abaixa quando o sol interfere na visão do motorista, deitando no horizonte. Enfim, cansei de ficar incomodando o zelador toda hora e como Marido não dava conta do controle do portão, comprei um novo. Acabei de dar as costas pro chaveiro uma intuição iluminou minha mente. "O contra-sol!" Eu tinha olhado em todos os lugares impossíveis, com exceção do contra-sol. Ah, mas não deu outra... O controle estava ali, no contra-sol. Marido tinha colocado ali, e ali ele tinha estado bem bonitinho, bem obediente. Pensei em voltar ao chaveiro, mas... Preguiça. Raiva. Joguei um verde: "Marido, comprei o controle novo, está com o zelador, ele vai codificar, vlw?" Marido olhou assim, com raiva, [básico, ele sempre está com raiva, é intestino preso, gas…

Casais Burros empobrecem juntos

Juntando eu e meu marido pagamos a conta de luz de abril e maio três vezes. E ainda conseguiram colocar o meu nome no SERASA. Devagarzinho, sabem, o transtorno é um transtorno, eu vou indo aos lugares, tipo PROCON reclamar minha indenização, afinal o meu nome era limpinho. Acontece quando o casal não se conversa direito, isso é normal, mas este post é pra deixar evidente que não ter uma boa comunicação atrai pobreza também, viu? Não pense que é só uma questão emocional. Em abril, não encontraram o pagamento da minha conta na concessionária Conbras, porque foi débito automático na conta do meu marido. Mês seguinte veio aquela famigerada mensagem na conta. Eu fui perguntar pra ele se tinha saldo na conta, ele ficou uma fera, começou a gritar comigo e ao invés de verificar o que aconteceu ele foi lá e pagou de novo. Fiquei com medo de perguntar do recibo, já que ele tinha gritado comigo e eu estava numa onda depressiva, eu estava bem fragilizada, de licença médica e nem atendia telefone,…

Eu só quero olhar para o meu filho...

Você nem parece um cunhado, parece mais um amigo, que bom ter um cunhado assim, continue assim, viu, não muda não... Sabia que eu só descobri que saio do corpo porque você me explicou o lance de olhar para as mãos? As mãos pareciam cachoeira... Comecei a fazer um bocado de experiências no mundo extrafísico. Seja bem feliz, aproveite a nova idade, blá, blá, blá. Obrigada por fazer a minha irmã e sobrinhas felizes.
Chega! Ontem foi horrível aqui em casa. Marido não pediu desculpas por gritar comigo e eu não estou cansada, estou fatigada. Não tinha lá aquela energia para entrar num relacionamento, mas nem tenho agora para sair, vai ficando, ficando. Quero meu filho comigo, rápido. Estou pensando em uma maneira. Marido tem uma depressão profunda, semelhante atrai semelhante. Nos conhecemos em uma crise depressiva (minha, penso) e engravidei numa crise de euforia (minha). Agora que estou fazendo tratamento e me recuperando, encontrei marido um dia desses catatônico no sofá. Eu falava com el…

Quatro Super Desafios para mim...

Às vezes eu desanimo com o astral devido à enormidade de conteúdo que eu vou ter que aprender. Mas sair do corpo conscientemente a primeira vez é como atravessar um terreno através de uma fenda, e essa fenda se afasta rapidamente do terreno onde você pisou. Você quer voltar para aquele querido terreno conhecido, seguro, mas ele vai inexoravelmente se afastando... cada vez mais... Você está na beira do abismo que se abriu entre os terrenos e a sua única escolha é... aprender a andar naquele terreno novo. Não dá pra fingir que você está sonhando... Entendeu... É uma coisa inevitável. De cara, me deparei com quatro superdesafios. 1. Respeitar os outros. Tem gente em desdobramento que não quer saber que está em desdobramento. Outros não querem conversa. Ninguém se torna anjo porque está fora do físico. 2. Diferençar formas-pensamento de outras pessoas. Algumas pessoas não são pessoas. São minhas criações mentais. O último método que usei foi absolutamente inadequado. Primeiro meti três de…

Parque da Água Branca - Momento de Inferno

Marido aproxima-se com aquele lindo bebê nos braços e chama para ir embora. Eu dei tchau para minhas recém-adquiridas amigas fofíssimas, deixando-lhes meu e-mail, e Marido pede para irmos ver os cavalos. Quis nos fotografar no caminho, mas quem disse que L. faz pose? L. só quer saber de ver os cavalos. Tenho transtorno bipolar isto me faz ter uns brancos e não me lembro de muita coisa, só Marido dizendo vou embora. Pega as coisas, filho, e some. Eu fiquei ali, olhando os cavalos. Vi um homem negro do outro lado das baias com um bebê nos braços e pensei que fosse Marido. Fiquei olhando os cavalos e piscando para a fêmea. As fêmeas mamíferas se reconhecem umas às outras. Olhei para todos os cavalos e seus olhares me revelaram seus sexos. A égua tem um olhar feminino e seus traços são equinos. Equino fêmea. Fiquei ali, sentindo aquela energia fêmea, não sei por quanto tempo. Olhei para todo o lugar e não vi Marido. Olhei novamente em todo o lugar e só estávamos eu e o tratador dos cavalo…

Relacionamento. Meu ponto fraco.

Já sabem que estou no terceiro casamento? Não consigo tolerar muita coisa, sabem? Não entrarei em detalhes do quanto o meu limite de tolerância é fraco, mas já me separei por causa de uma noite dormida fora de casa (marido um) e uma viagem para B. (marido dois). Ambos me procuraram para voltar e para ambos eu disse não. Aliás no segundo eu nem sabia o que estava fazendo eu estava no meio de uma depressão e ainda na mesma nebulosidade e confusão engravidei do terceiro. Descobri que meu limite de tolerância precisa ser um pouco melhor e agora estou mais "light". Já quis me separar de Marido porque ele me deu uma patada, eu já disse pra ele que eu não vou aceitar, eu sou muito sensível, mas ele É um grosso. Não adianta, é grosso. O portuguesinho grosso. Quando ele tiver crises de cavalice eu vou embora. Não no sentido literal. Vou cuidar de outras coisas, viver minha vida, estudar, vou ao cinema, vou viver. Quando ele voltar eu falo com ele. Não preciso aguentar as patadas. Sei…

Comprovando a exteriorização da alma durante o sono

Eu, como uma psicopedagoga, andei lendo em diversos estudiosos da aprendizagem, como Piaget, Vigotsky e Melanie Klein, entre outros que a memória consciente é um subproduto da atenção e na mesma medida que a memória inconsciente ("esquecimento"), é um subproduto da dor. Lembramos quando prestamos atenção e exercitamos, esquecemos quando queremos nos proteger da dor. Nas sessões de psicanálise, os profissionais utilizam técnicas para despertar algum material inconsciente que esteja interferindo na vida atual. Se não tem como não estar prestando atenção nos sonhos, já que estamos indefesos e sem controle, porque não nos lembramos ao acordar? Porque os dados importantes como números, datas, endereços, nomes, sobrenomes, esvaem-se da minha memória assim que eu acordo, como se fosse uma neblina? Às vezes, quando em viagem astral, eu anoto coisas mentalmente, sobrenomes, endereços. Tenho um caderno com lápis na minha cabeceira. Enquanto estou escrevendo a experiência, as coisas vã…

Marido, Santa Rita e Bodhisatvas do Universo salvam casamento!!

Imagem
Lembra que eu falei que queria separar? Estava marcado para hoje (03/07/2009). Aconteceram coisas, mágicas, que acontecem normalmente aos seres humanos que conseguem interpretar os sinais como mais de que simples "coincidência". Aliás, viajei, acontece com quem não consegue interpretar nada e pensam que é coincidência. Um caminhão quebrado, uma música no rádio, uma chuva, uma festa de aniversário, coisas assim, aparentemente sem nexo causal algum uns com os outros, não acham? NÃO, não existe coincidência, SEMPRE é a força da nossa mente, o poder do espírito santo, a lei de causa e efeito e o que mais vocês acreditarem. Sempre é sobrenatural, sempre. Mas eu ia dizendo em como foi que os mistérios e Marido salvaram meu casamento, né? Pois, Marido me deu um gelo daqueles e eu estava sofrendo muito e decidi que ninguém nunca mais ia me dar gelo. Marquei a nossa conversa para sexta à noite, porque aí eu ia ter todo o fim de semana para ficar chorando. Quando foi quarta à noite, M…

Estou pensando se me separo de Marido...

Ai, que pena mas eu toh sofrendo tanto! Ontem (30/06/2009), eu tive crise de suicídio, fiquei em posição fetal, chorando no sofá, ele nem pra perguntar o que foi, não que isso fosse mudar a minha situação, o que ajudou mesmo foi o alprazolam, mas acho que mereço um tratamento melhor. O ser humano está há duas semanas sem falar comigo. Duas semanas! Primeiro eu tentei conversar (quatro vezes). Depois vi que não adianta. Pensei que era crise de eu-quero-ficar-sozinho, deixei, relaxei. A crise não passava e quando eu tive que ir num lugar perigoso à noite e ele não falou nada aí eu comecei a desconfiar de que não era nada disso, é punição mesmo, é dar gelo, sabe, dar gelo, ficar assim sem falar. Já terminei um noivado anteriormente por causa de gelo e o rapaz tinha 20 anos. Marido tem 38, não dá, né.? Relacionamento é crescimento para os dois, resolver problemas juntos, e conseguir coisas para dois, é muito divertido, difícil e gostoso. Quando começa a ficar impossível crescer, porque ac…